Estou Cansado
Estou cansado, é claro,
Porque, a certa altura, a gente tem que estar cansado.
De que estou cansado, não sei:
De nada me serviria sabê-lo,
Pois o cansaço fica na mesma.
A ferida dói como dói
E não em função da causa que a produziu.
Sim, estou cansado,
E um pouco sorridente
De o cansaço ser só isto —
Uma vontade de sono no corpo,
Um desejo de não pensar na alma,
E por cima de tudo uma transparência lúcida
Do entendimento retrospectivo…
E a luxúria única de não ter já esperanças?
Sou inteligente; eis tudo.
Tenho visto muito e entendido muito o que tenho visto,
E há um certo prazer até no cansaço que isto nos dá,
Que afinal a cabeça sempre serve para qualquer coisa.

Álvaro de Campos, in “Poemas”
Artigo anterior
Artigo seguinte
Deixe um comentário

3 comentários

  1. Não tenho deixado comentários, mas tenho lido… e hoje, também cansado, gostei especialmente deste poema do nosso grande Poeta.

    Responder
  2. Um poema belíssimo!…para nos confortar de algum modo todo o cansaço que volta e meia nos visita.Um beijinho, Eduarda🙂

    Responder
  3. Olá,vim visitar seu blog através do Google e estou encantada com os textos e reflexões.E,se não se importar já estou seguindo também!Da distante Itália,Bergildewww.bergilde.blogspot.com

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: