Reposiçao

Neste meu  périplo pelos blogs, tenho percebido, que os mesmos se dividem em variadíssimas classes, existindo um perfil que predomina e me tem obrigado a alguma reflexão. Trata-se da procura insistente do “eu superior” ou da “luz” como lhe quisermos chamar.

Ao que me parece nem toda a mudança ou tentativa da mesma se traduz num romper com o compromisso de vida que nos foi atribuído ao nascer.
Todas as possibilidades existem, nem sempre de acordo com o padrão ensinado. Embarcar na reflexão, pode ser o reconhecimento da provação em falta, da respiração suspensa, da vilanagem inconsciente, da vida de ausência ou até do silêncio perdido. Daí a necessidade de investigar.

Estou longe dessa procura, provavelmente deveria, e parece-me que a evolução, vou chamar-lhe assim, resulta duma impossibilidade durável de manter a vida real, até ali vivida.
Num piscar de olho, e de fácil entendimento, reconhece-se que o heroísmo no quotidiano, se torna violento para aquele que o pratica, pelo que resistir à pressão dos círculos próximos é difícil. Daí o encosto à espiritualidade.

Não me choca que as pessoas se queiram tornar melhores seres humanos, mas as ausências imaginadas, podem vir no sentido inverso e reclamar aquilo que no nosso dia a dia não se pratica, arrisco dizer, poder ser redutor.

Na generalidade dos casos, raramente a atitude é igual ao discurso.

Artigo anterior
Deixe um comentário

7 comentários

  1. Rica escolha! Gostei…

    Responder
  2. Quando me surge Pessoa , só tenho uma exclamação . LINDDDDDDOOOOO!!!!Bem-haja por este momento Bj Quina

    Responder
  3. Olá QuinaConcordo, Fernando Pessoa, vale sempre a pena ler.Bj grande

    Responder
  4. EduardaDevo estar com algum problema de acesso ao blogger: os comentadores anteriores falam em Fernando Pessoa, mas eu não o encontro em lugar nenhum do artigo. Também é verdade que vejo um enorme quadrado preto no início do artigo.Mas vamos ao que dizes, que é o que importa: buscamo-nos e isso é sinal de inquietação interior. Sinal positivo. Mas é a vida prática – os actos – que traça o retrato de quem somos.Beijos ou

    Responder
  5. FátimaNo inicio do texto está de facto um filme retirado do You tube,sobre F.P. deverá ser por certo o tal quadrado preto que não consegues ver.Quanto ao texto é também a inquietação interior, ela aí está, a minha e a de muitos.Positivo para uns, para outros nem tanto.Um Beijo grande

    Responder
  6. Eduarda! Amiga, senti como minha cada palavra escrita!Como seria bom se todas as pessoas fossem exactamente aquilo que dizem ser e tentam parecer!!!O mais grave é que não o sendo de todo, como dizes e muito bem, ainda são completamente o oposto.Dou-te, se me permites, um simples conselho.Não valorizes o que não tem valor."A força dos maus é eles considerarem-se bons e vítimas dos caprichos alheios.Autor: Alain "BeijoNá

    Responder
  7. Olá FernandaEste post é de facto uma reposição, em tempos já o tinha publicado, sendo que neste momento achei pertinente voltar a colocá-lo por aqui.Agradeço de coração o conselho, mas há algum tempo que fiz escolhas, para mim o joio, é mesmo joio, e o trigo alimenta-me. Para outros provavelmente o joio será semente o seu sustento, daí que; "Vive e deixar viver" é lema que levo a peito.Pela minha parte faço o que gosto, gosto do que sou e estou de bem comigo.Um beijinho grande

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: