Luisa

A vida é um caminhar.

Haverá sempre coisas por resolver, haverá sempre perguntas sem respostas, haverá sempre angústia.

Mas o caminho não conduz a um muro intransponível, de encontro ao qual esbarrarias, mas sim a um espaço  sem fim, cujo nome ignoro, mas cuja água sei  te matará toda a sede. Assim poderás  ter paz .

Há sofrimento , porque há morte!

Há sempre possibilidade de recuperação, porque há vida!

Foste capaz de ultrapassar as várias contingências da vida e ter asas para voar mesmo quando não podias. Caminhaste sem descanso apesar do cansaço, assumiste a condição de simplesmente ser pessoa.  Ser que enfrenta o mundo e não objecto manipulável.

Foi  uma conquista gradual, que permitiu  integrar em ti  tudo o que aconteceu, de forma a adquirir a pouco e pouco,  um verdadeiro equilíbrio .

Foste descobrindo a força que existia dento de ti, os convites que continuamente te eram feitos para que avançasses, tal como eras, e com aquilo que tinhas, quaisquer que fossem as circunstâncias, favoráveis ou não, no teu contexto de vida.

O  bem para lá do mal, a vida para além da morte.

Ajudaste-me a ter  fé, a suficiente para me permitir embarcar em aventuras de rumo desconhecido, que talvez me levem para campos ignorados, onde o amparo que encontrarei será, tenho a certeza, o teu forte abraço.

Ensinaste-me que a minha vida terá que ser construída com materiais qua vou escolhendo ao caminhar.

Ultrapassar a perturbação causada pela morte, vai ajudar-me a encontrar a raiz da árvore que sou, e beber o sumo dos seus frutos. Farei então um brinde à mulher, sogra e amiga que foste durante estes trinta e cinco anos de amor.

Fica em paz.

Artigo anterior
Artigo seguinte
Deixe um comentário

14 comentários

  1. Deolinda gonçalves

     /  20/05/2012

    Obrigada Eduarda, pelas lágrimas que deitei ao ler o que escreveste á Tua Sogra.
    Obrigada Eduarda, por nos encontrarmos, Obrigada Eduarda pela Nossa amizade.
    A Luisa, onde está, conhece os teus passos semanais e sabe do Vosso Querer pela dignidade da morte
    Beijo e sempre convosco
    Deolinda

    Responder
  2. António

     /  20/05/2012

    Comovente homenagem, Eduarda! As palavras nem sempre dizem o que verdadeiramente sentimos. Mas quando são expressas com verdadeiros sentimentos… que saem mesmo do fundo de nós, aí sim, não há margem para dúvidas. Paz à sua alma.

    Responder
  3. Eduarda

    A vida é mesmo assim: um dia, os ramos que fomos de certa árvore, tornam-se raízes de outros ramos, num processo de regresso à terra de que nascemos.

    Muito bonita homenagem.

    Beijos

    Responder
    • Fátima
      É no contexto do que escreves, que pode acontecer um encontro autêntico, sempre de caracter imprevisível, não programado, que no entanto exige disponibilidade e consistência.
      Acontece normalmente, quando duas pessoas se conhecem como tal. Encontram-se por um acaso da vida, descobrem-se, e alimentam-se mutuamente com o que nelas existe, continuando cada uma a ser ela própria. Fomos assim eu e a minha sogra.
      Grata pelas tuas palavras.

      Responder
  4. Esmeraldina

     /  22/05/2012

    Esmeraldina Parreira
    Lindo demais, sentido também… pela simplicidade que ela era, um Ser sincero que nos fazia rir tantas vezes … mereceu esta tua homenagem simples e bonita.
    Quanto a mim, podes crer que também me deixa muita saudade
    Esmeraldina Parreira

    Responder
  5. ju

     /  22/05/2012

    AMIGA!
    Linda Homenagem!
    Onde ELA estiver olhara por vocês todos…
    tudo fizeram para que ela serenamente partisse como sabes eu sou de todo apologista que temos que fazer tudo do melhor a qualquer ser Humano e mais ainda quando o sangue corre nas veias, enquanto cá estão na terra dos vivos tem que existir dignidade até á morte, e isso eu como vossa amiga sei que lho deram com todo o vosso AMOR e CARINHO.
    beijos
    ju

    Responder
  6. Conheço-te à pouco tempo, mas tenho já a certeza que és uma grande mulher. Obrigado por seres assim, dás uma força enorme para quem precisa. Bjns

    Responder
    • Dulce
      Se estivermos despidas, sem adornos, de mãos e coração abertos, há sempre forma de nos podermos dar aos outros.
      Obrigada pela gentileza do que escreveste.

      Responder
  7. Filomena Martiins

     /  01/06/2012

    ” A morte é um natural que faz parte da vida. Hoje uns, amanhã outros e todos temos que pagar este tributo inerente à nossa humana condição. Apesar disso, ficamos profundamente chocados com a morte da tua Sogra, pois todos sabemos que quando nos morre alguém querido, é uma parte de nós que morre também.”
    Bjs
    Filomena Martins

    Responder
  8. Minha querida amiga:
    Não preciso de muitas frases para dizer que pessoa maravilhosa que és.
    Um simples obrigada Eduarda.
    Maria Soares

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: