NÓS

O homem de génio diz:  eu sou.
O poderoso afirma:  eu posso.
O rico diz: eu tenho.
E o ambicioso: eu quero.
Eu! Eu! Eu!
E afinal,
esses que vivem sós,
completamente sós,
quanto dariam para, como tu,
ou como eu,
dizerem simplesmente: nós!

Fernanda de Castro
Digo mais: Começou a época de plástico !
Anúncios

Montejunto

Serra de Montejunto
Por aqui, não oiço discursos, nem se recebem medalhas de hipócrisia!

Torna viagem

Voltaria, a estar com eles, outra vez.

RABAS




– Ontem, o meu jantar soube-me que “nem ginjas”!
– Ah, sim o que foi?
– Ah, ah nem vais acreditar… Comer de porco!
– Comer de porco? Carne de porco, queres dizer.
– Nã,…nã…nã…; comer de porco…!
– Essa é nova!
– Burrinha. Bacalhau com rabas. Diz-te alguma coisa?
– Bacalhau sim, rabas não!

………..

E começa a lenga-lenga de dizer, que há hábitos irritantes, para o resto dos comuns, nascidos na minha cidade. Eu tenho o habitozinho, de entrelaçar emoções, memórias e sabores.
Neste caso comida e memória é laço reforçado. Dois fios que se encontram unidos por vivências comuns.
Para além do sentir das matizes e todas as variações de cores e afectos, conseguiu a minha santa avozinha eternizar o sabor de um tubérculo, vincando as muitas lembranças que ainda hoje dela transporto.
O par de dança “Bacalhau / Rabas”, provavelmente apenas conhecido, pelos naturais transmontanos, baila no meu prato, (graças a um bom amigo da aldeia de Montezinho).
Trata-se de um produto hortícola, que a maioria das gentes de Trás os Montes cultiva e dá ao porco.

Embora considere, que comer é (também) um acto eminentemente social, atenção, não me atreveria a comer com o dito animal. Mas não vale a pena mascarar emoções, as pessoas gostam do que gostam, e eu gosto do que o porco come!

É um laço, que dificilmente se desfará.

Chegaremos…o caminho está aí

“É ilusória toda a reforma do colectivo, que se não apoie numa renovação individual; ameaça  aruinar,  todo o movimento que tornar possível a ignorância e a ilusão.
Acima de tudo coloquemos a franqueza e os corações abertos; às dúvidas que se juntam podem surgir as melhores fórmulas; chega mais lento o triunfo, mas vem mais sólido; e ninguém se arrastou, todos chegaram pelo seu pé.”

Bem nos ensinou o Prof., que na vida não vale tudo, para chegarmos onde pretendemos.

Conceitos

De neve nada sei, de sol também,

de milhares de sossegos acordados,
da subida do teu rosto atrás dos ombros,
da mão ardente, da vista da sacada
nada sei.
Ponho palavras como coisas feitas:
só entre elas, enquanto jogam, leves,
seu rodado sem cor nem qualidades,
minha ciência existe, e já não minha,
ou só tão minha como tua e delas,
ar entre os dedos, sumo de verdades.

 Pedro Tamen

Saber que os encontros e conversas de circunstância e especialmente a descoberta de que a amizade, não se traduz pela mente mas sim pela alma, o que quer dizer ,que quando estamos na mó de cima, temos sempre amigos à nossa volta, quando estamos em reflexão, todos fogem, atribuindo o facto ou a uma “depressão” ou estamos a ficar”maluquinhos”.

Nem sempre os amigos são só aqueles, que nos dão os parabéns no dia dos anos, aqueles que vêem cá a casa jantar, aqueles que convidamos, quando damos uma festa, ou até aqueles com quem bebemos um café e desabafamos sobre o bom e o mau, que a vida nos oferece.

Considero também e muito, aqueles, que na hora do sufoco se disponibilizam para nos dar uma mãozinha, quando parece que tudo nos cai em cima.
A grande variante é que comecei a entender de outra forma, os que me rodeiam.
Ninguém é obrigado a seguir o caminho de ninguém.
Os factos na nossa vida entendem-se simplesmente por “aceitação”
Cada vez mais vivo de dentro para fora, já não tenho apegos a coisas que até aqui me faziam muito feliz, (falta-me deixar de fumar e beber café, vícios …)

Hoje, espero que as coisas aconteçam no seu devido tempo; não corro para nada, nem para ninguém.
Mas estou aqui….segura  e apoiada em QUEM me ama!!!

E não tenho medos!





Prémio Dardos

Recebi da minha amiga Isa do blog  The M Chart

“O Prémio Dardos é o reconhecimento dos ideais que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc… que em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, e suas palavras.”

E as regras são:

– Exibir a imagem do selo no blog

– Exibir o link do blog que você recebeu a indicação

– Escolher 10, 15 ou 30 blogs para dar a indicação e avisá-los.

Esta escolha é que me é difícil.
Prometo que logo, logo vou oferecer este prémio também.

Á Isa o meu muito obrigada pelo carinho

E aqui vão as minhas ofertas:

http://euconto-jrf.blogspot.com/
http://www.rebordainhos.blogspot.com/
http://lookinside-saobras.blogspot.com/
http://emcatharsis.blogspot.com/

São muitos os que leio, mas poucos onde boto discurso.
Um abraço a todos

"A cura de Schopenhauer"

Obra brilhante!